07 de março de 2021
Anuncie Aqui
-->

Resíduos do pescado podem gerar receita

16 AGO 2007 - 14h41min
assessoria de comunicação

Dentre as atividades que compõem a cadeia produtiva do peixe, a industrialização do pescado precisa ser vista como uma ação integrante, que participa desde a produção do peixe ao seu consumo final. Uma produção estruturada exige uma industrialização acertada, que atenda aos anseios do mercado consumidor.


Para a industrialização, há diversos pontos a serem observados como a estrutura do corpo e dos músculos do pescado, a composição química dos mesmos e o rendimento da parte comestível, que serão processados com métodos que dependem das disponibilidades tecnológicas, espécie e tamanho do peixe, assim como, dos aspectos econômicos e comerciais.


Ainda na fase de industrialização está o aproveitamento dos resíduos do pescado, que segundo Marília Oetter, professora do Departamento de Agroindústria, Alimentos e Nutrição da ESALQ/USP, para que as empresas processadoras possam funcionar dentro das conformidades estabelecidas em lei, elas precisam dar um destino para todo o material que sobra da manipulação da matéria-prima. "O conceito de empresa 'limpa' já está consolidado, e particularmente, no caso do pescado, esse resíduo é de grande volume e composto por substâncias de alto valor nutritivo, além de serem úteis para outros fins", ressalta Marília.


A professora da USP destaca que "o piscicultor ao aproveitar o resíduo para transformá-lo em um subproduto com valor comercial estará, conseqüentemente, tendo um aumento de receita". Oetter enfatiza também que "uma vez reciclado há maior aproveitamento, no qual os resíduos são otimizados antes de se tornarem uma única biomassa sem diferenciação e vão sendo destinados a fins mais nobres".


Atualmente, Marília explica, que "as técnicas de aproveitamento utilizadas nas pesquisas se concentram na elaboração de silagem, que são destinadas a comporem rações para peixes".


O aproveitamento dos resíduos sob a forma de silagem apresenta várias vantagens, pois este processo simples, não exige mão-de-obra especializada, pode ser feito em pequena escala e os custos com equipamentos e energia são baixos, além de minimizar o impacto ao ambiente.


A professora Marília Oetter abordará esses assuntos durante o I Congresso Brasileiro de Produção de Peixes Nativos de Água Doce, que acontece de 28 a 31 de agosto, em Dourados-MS, na Embrapa Agropecuária Oeste, unidade da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária - Embrapa, vinculada ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.

 

Veja também

Mais Lidas

1
Policial

Mãe é detida após espancar bebê de 9 meses com pedaço de madeira

2
Policial

Homem é sequestrado na porta de casa e espancado até a chegada da PM

3
Aquidauana

Dois adolescentes em uma bicicleta foram atropelados no Jardim Aeroporto

4
Geral

Bombeiros prestam socorro à mãe que deu a luz em casa

Vídeos

Acidente entre caminhão bitrem e moto deixa feridos em Anastácio

Acidente de trânsito em Anastácio deixa motociclista em estado grave

PF cumpriu mandados em Anastácio em investigação sobre desvio de verbas

Ver mais Videos

Previsão do Tempo

min23 max34

Aquidauana

Sol com algumas nuvens. Não chove.
min23 max34

Anastácio

Sol com algumas nuvens. Não chove.

Níveis dos Rios Hoje

Aquidauana
2,89m
Miranda
5,34m
Paraguai
1,51m

Colunas e Blogs

Valdemir Gomes

O...

Maria de Lourdes Medeiros Bruno

E Agora

Manoel Afonso

Amplavisão 1450 – A estranha vontade dos políticos ...

Ver Mais Colunas

Guia Cidade

Pesqueiros

Pousada Amarelinho

Acesso pelo Frigorífico, - 79200-000 Aquidauana/MS (67) 3241 2828/99186
Telefones Úteis

Delegacia da Mulher

Luis da Costa Gomes, 555 Cidade Nova - 79200-000 Aquidauana/MS (67) 3241-1172
Advocacia

Marcello A. F. S. Portocarrero

Rua Manoel Antonio Paes de Barros, 1469 Guanandy - 79200-000 Aquidauana/MS (67) 3241-3294 / 324
Ver Mais
2
Entre em nosso grupo