X
Crime de ódio

Promotor denuncia usuários de redes sociais por comentários racistas contra indígenas em MS

Comentários estavam em publicação sobre prioridade da vacinação para indígenas em Dourados (MS)

Primeira pessoa a receber vacina contra a Covid-19 em Mato Grosso do Sul foi indígena de 91 anos / Foto TV Morena

Diversas pessoas que reclamaram, de forma preconceituosa, da prioridade da vacinação contra Covid-19 para indígenas em Dourados, a 229 quilômetros de Campo Grande, foram denunciadas por racismo por um promotor de justiça, na tarde desta terça-feira (19).

De acordo com o promotor João Linhares, as respostas a notícias publicadas em redes sociais eram inadmissíveis. "Enviei o material à PF, para que fosse instaurado inquérito e investigados os leitores de sites que fizeram os comentários odiosos, nefastos, pelo crime de racismo, que prevê pena de dois a cinco anos e multa", afirma.

Os comentários questionavam a escolha dos órgãos de saúde sobre as primeiras pessoas a receberem a vacina contra a Covid-19. Em Dourados, mais de 11 mil doses da vacina serão exclusivas a indígenas. O direito se dá pelo povo indígena estar entre os grupos sociais considerados vulneráveis e protagonizarem números alarmantes de infecções. A primeira pessoa vacinada no estado foi, inclusive, uma indígena de 91 anos.

Em Mato Grosso do Sul, 3.960 indígenas contraíram a doença, sendo 546 em Dourados. 80 perderam a vida, sendo 29 de Aquidauana, 19 de Sidrolândia e 12 no município de Dourados. A infectologista Andyane Tetila explica os motivos da vulnerabilidade dos indígenas à Covid-19. "Além da constituição genética, por morarem em comunidades mais fechadas, como aldeias, também há o contexto social, de modo cultural de vivência, além da habitação, com muitas pessoas morando na mesma casa. Ainda há de ser considerada a parte cultural do contato entre eles. Então é totalmente diferente da população urbana, que nós conseguimos ter maior controle", esclarece.

De acordo com o coordenador do Distrito Sanitário Especial Indígena (DSEI) de Dourados, coronel Joe Saccenti, as doses foram distribuídas a seis equipes na aldeia de Dourados. A vacinação acontecerá toda na própria reserva indígena. A meta é vacinar pelo menos 90% da população que tem direito a dose no município.

Para o promotor João Linhares, os comentários preconceituosos e criminosos em notícias precisam ser mais coibidos nas redes sociais.

"Essa discriminação, xingamentos e, especialmente, a depreciação da comunidade indígena, são intoleráveis à luz da constituição, das convenções internacionais. A internet é regulada por lei, não uma terra em que a pessoa possa se manifestar ofendendo outras, praticando crimes, sobretudo encampando crimes de ódio. Essas pessoas devem responder criminalmente por isso", finaliza.

Deixe a sua opinião

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Economia

Brasil exporta 31 mil toneladas de biscoitos no 1º semestre de 2024

Ontem foi celebrado o Dia Nacional do Biscoito

Crime

Criminosos usam apagão cibernético para aplicar golpes e coletar dados

Agência de Defesa Cibernética Americana emite alerta

Voltar ao topo

Logo O Pantaneiro Rodapé

Rua XV de Agosto, 339 - Bairro Alto - Aquidauana/MS

©2024 O Pantaneiro. Todos os Direitos Reservados.

Layout

Software

2
Entre em nosso grupo