X
Política

José Alencar afirma que Brasil se tornou o País da impunidade

O vice-presidente da República, José Alencar, afirmou em entrevista ao jornal Folha de S.Paulo que o Brasil se tornou "o País da impunidade". "Isso é sério e precisa mudar. Não se pune a corrupção. Eu não vejo que isso está mudando", disse Alencar.


Questionado se as decisões do Supremo Tribunal Federal (STF) sobre o mensalão mineiro e sobre o suposto esquema de pagamento para parlamentares votarem de acordo com o governo Lula - o chamado mensalão -, o vice-presidente respondeu: "é preciso haver investigações rigorosas e detalhadas, não importa quem é o investigado. Sempre defendi isso. Eu acredito que todos são inocentes até se prove o contrário, mas o Brasil se tornou o País da impunidade. Isso é sério e precisa mudar. Não se pune a corrupção. Eu não vejo que isso está mudando".


O Supremo Tribunal Federal (STF) avalia se aceita denúncia contra o senador Eduardo Azeredo por supostamente ter desviado dinheiro do governo de Minas Gerais, 1998, para a campanha eleitoral, quando tentou se reeleger governador. O suposto esquema ficou conhecido como mensalão mineiro. O ministro Joaquim Barbosa, relator do caso, aceitou duas denúncias, mas os demais ministros ainda devem se pronunciar.


O vice-presidente disse ainda que gostaria de se candidatar ao Senado no final do atual mandato. Contudo, ele disse que depende de melhoras no seu tratamento de saúde contra o câncer. "Se eu tiver bem, eu posso levar meu nome. Se os eleitores quiserem, eu volto para o Senado", disse Alencar.


Sobre a doença, o vice-presidente disse que os exames mostraram uma grande redução dos tumores e que está passando bem. Ele ainda afirmou que há uma "verdadeira corrente no Brasil inteiro de pessoas que me mandam cartas, mensagens, remédios, ervas, uma coisa nunca vista. O que eu tenho recebido, o que chega, não tem gabinete que consiga catalogar. As manifestações são fantásticas".


Sobre a possível candidatura da ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, à Presidência da República pelo PT em 2010, Alencar disse à Folha que a ministra contribui para que chegue ao governo influência de dois Estados importantes: Minas Gerais (onde Dilma nasceu) e Rio Grande do Sul (onde viveu).


Por outro lado, sobre uma possível candidatura de Aécio Neves, governador de Minas Gerais, à presidência pelo PSDB, Alencar disse ter grande respeito pelo tucano, "mas ele tem um problema para resolver dentro do partido primeiro(a disputa pela indicação com o governador de São Paulo, José Serra)".

Deixe a sua opinião

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Mundo

Brasil pede esforço para conter tensão no Oriente Médio

País manifesta preocupação com intensificação do conflito

Trânsito

Batida entre motos deixa dois feridos em Anastácio

O acidente aconteceu na Rua Chico Bento, no Bairro Cristo Rei

Voltar ao topo

Logo O Pantaneiro Rodapé

Rua XV de Agosto, 339 - Bairro Alto - Aquidauana/MS

©2024 O Pantaneiro. Todos os Direitos Reservados.

Layout

Software

2
Entre em nosso grupo