X
Educação

MEC discute criação de instituto binacional Brasil-Paraguai

O Grupo de Trabalho tem 120 dias para produzir relatório sobre viabilidade de implantação. Consulta às comunidades brasileira e paraguaia é um dos próximos passos

Bandeiras dos dois países / Divulgação

O MEC (Ministério da Educação) , por meio da Sesu (Secretaria de Educação Superior), participou de nova reunião do GT (Grupo de Trabalho) encarregado do estudo de viabilidade da criação de um instituto binacional envolvendo Brasil e Paraguai. O encontro aconteceu em 12 de abril, na Fafi (Faculdade de Filosofia) da UNE (Universidade Nacional do Leste) , no Paraguai. O GT é formado por representantes dos Ministérios da Educação brasileiro e paraguaio e da Unila (Universidade Federal da Integração Latino-Americana), bem como por diplomatas de ambos os países.

Os tópicos abordados durante a reunião foram o parecer jurídico da assessoria da reitoria da UNE , o estabelecimento de comissões de trabalho (sobre orçamento, legislação e academia) e apresentação de proposta pela Unila de um formulário de pesquisa online para consulta junto às comunidades.

"O nosso trabalho já está bem adiantado com a questão jurídica sendo discutida. O próximo passo é a análise jurídica por parte do Brasil acerca da proposta feita pela UNE e também as definições acerca de questões acadêmicas . Além disso, programamos uma consulta internacional para que possamos ouvir as comunidades acadêmica s da UNE e da Unila e também a sociedade em geral, além dos políticos e pessoas envolvidas no projeto , para que possamos ter diretrizes que atendam aos dois países. A ideia é conhecer a vontade e as sugestões das duas comunidades", pontuou Tania Mara Francisco, diretora de Desenvolvimento da Rede de Instituições Federais de Ensino Superior (Difes), da Sesu.

Segundo a dirigente, em maio será realizado um seminário com a participação das comunidades acadêmicas da Unila e da UNE , com vistas a uma proposta finalizada e uma definição de encaminhamentos para a criação do instituto binacional.

A reitora da Unila , Diana Araújo Pereira, pontuou que o cenário é de avanços. "Creio que essa reunião foi fundamental para cimentar o caminho , principalmente em termos legais de como realmente podemos implementar um instituto que seja binacional, que tenha um caráter diferenciado e, ao mesmo tempo, conjuntamente entre duas universidades, como são a UNE e a Unila ", afirmou.

Representando o Brasil, estiveram presentes na reunião: Tania Mara Francisco, diretora da Difes / Sesu/MEC; Jaqueline Pinheiro Schultz, coordenadora-geral de Assuntos Internacionais da Educação Superior, da Sesu/MEC; Rui Oppermann, diretor de Relações Internacionais, da Capes (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior); Diana Araújo Pereira, reitora da Unila , e sua equipe de trabalho; e Bruno Rodríguez, diplomata do Consulado - Geral do Brasil em Ciudad del Este. Como representantes do Paraguai, integraram a reunião: Osvaldo da Cruz Cavaleiro, reitor da UNE ; Julio Meaurio Leiva, vice-reitor da UNE ; reitores das diferentes unidades acadêmicas ; diretores da reitoria da UNE ; e membros do Sindicato dos Profissionais Docentes da UNE (Siprodune).

O Grupo de Trabalho para criação de instituto binacional entre Brasil e Paraguai foi instituído pela Sesu /MEC e teve seu primeiro encontro presencial na reitoria da Unila , no dia 5 de março, em Foz do Iguaçu (PR).

*Com informações do MEC

Deixe a sua opinião

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Polícia

Idoso é vítima de estelionato em Anastácio

Vítima recebeu ligação de falso gerente de banco

Meio Ambiente

Sucuri de 2,5 metros é capturada no Centro de Corumbá

Equipe do Corpo de Bombeiros encaminhou cobra para área de mata

Voltar ao topo

Logo O Pantaneiro Rodapé

Rua XV de Agosto, 339 - Bairro Alto - Aquidauana/MS

©2024 O Pantaneiro. Todos os Direitos Reservados.

Layout

Software

2
Entre em nosso grupo