X
Política

MPMS pede condenação do prefeito de Corumbá por nepotismo

Ação Civil Pública pede devolução de quantias pagas a parentes nomeados

Divulgação

O MPMS (Ministério Público de Mato Grosso do Sul) ingressou com Ação Civil Pública por ato de improbidade administrativa com pedido de tutela antecipada de urgência em desfavor do prefeito de Corumbá, Marcelo Aguilar Iunes. Ele teria praticado nepotismo ao nomear parentes para funções na administração pública.

Conforme informações divulgadas pelo Ministério, o prefeito nomeou parentes consanguíneos e por afinidade, para funções comissionadas e para cargo comissionado em órgãos e entidades da administração pública do Município de Corumbá. Segundo a ação proposta, na data de 17 de novembro de 2017, ele nomeou M.A.T para o cargo de provimento em comissão de Gerente, símbolo DAG-04, na Gerência de Proteção Social Básica da Secretaria Municipal de Assistência Social, situação que perdura até o presente momento. De outro norte, na data de 8 de abril de 2019, o prefeito nomeou E.A.B para o cargo de provimento em comissão de Assessor-Executivo III, Símbolo DAG-04, na Secretaria Municipal de Educação, situação que também perdura até o presente momento.

A Ação Civil cita outros parentes consanguíneos e colaterais do Prefeito que foram nomeados para cargos públicos durante a sua gestão. Para o Promotor de Justiça, titular da 5ª Promotoria de Corumbá, Luciano Bordignon Conte: “Não há dúvidas de que a manutenção da nomeação de parentes colaterais até terceiro grau para exercer cargos comissionados viola os princípios da isonomia, moralidade e impessoalidade da administração pública”.

Na ação, Luciano Conte ainda enfatizou que “há nítido privilégio concedido a parentes consanguíneos e colaterais dentro do Poder Público Municipal, em detrimento de todos os demais servidores públicos municipais aptos e capacitados para esses cargos, mas que, por não serem próximos ou não terem os mesmos privilégios, acabam sendo preteridos, inserindo-se no âmbito da administração pública municipal um sentimento de desprezo pela meritocracia e incentivo ao clientelismo, ao coronelismo, enfim, ao nepotismo”.
Entre outras medidas, o MPMS requer a concessão de tutela antecipada, em caráter “ab initio litis” e “inaudita altera pars”, para que seja determinado ao Município de Corumbá que suspenda todos os efeitos dos atos de nomeação e investidura dos requeridos: M.A.T, do cargo de provimento em comissão de Gerente, símbolo DAG-04, na Gerência de Proteção Social Básica da Secretaria Municipal de Assistência Social; E.A.B, do cargo de provimento em comissão de Assessor-Executivo III, símbolo DAG-04, na Secretaria Municipal de Educação; e E.A.I, da designação de membro da Junta Administrativa da Associação Beneficente de Corumbá, até final julgamento desta ação, ficando vedado a eles o exercício das atribuições dos cargos comissionados/função comissionada e o recebimento de quaisquer valores pelo Município de Corumbá/MS decorrentes de tais nomeações, sob pena, inclusive, de crime de desobediência e de pagamento de multa diária no valor de R$ 5.000,00 (cinco mil reais), a ser suportada pelo gestor público responsável pelo pagamento.

O Ministério Público Estadual requer, ainda, a condenação do Prefeito Marcelo Iunes pela prática de ato de improbidade administrativa e, consequentemente, nas sanções previstas no art. 12, inciso III , da Lei nº 8.429, de 2 de junho de 1992, observado o princípio da razoabilidade na fixação das sanções: ressarcimento integral do dano, perda da função pública, suspensão dos direitos políticos de três a cinco anos, pagamento de multa civil de até cem vezes o valor da remuneração percebida pelo agente e proibição de contratar com o Poder Público ou de receber benefícios ou incentivos fiscais ou creditícios, direta ou indiretamente, ainda que por intermédio de pessoa jurídica da qual seja sócio majoritário, pelo prazo de três anos.

Deixe a sua opinião

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Saúde

Não é só gotinha: entenda como funciona a vacinação contra a pólio

Atualmente, as três primeiras doses da vacina são injetáveis

Policial

PRF inaugura nova Unidade Operacional em Ribas do Rio Pardo

A estrutura possui, além das salas e equipamentos necessários para a atividade policial, uma sala de integração para operações com outras instituições

Voltar ao topo

Logo O Pantaneiro Rodapé

Rua XV de Agosto, 339 - Bairro Alto - Aquidauana/MS

©2024 O Pantaneiro. Todos os Direitos Reservados.

Layout

Software

2
Entre em nosso grupo