19 de outubro de 2021
Anuncie Aqui
Política

Secretário detalha orçamento e pede apoio dos deputados para Estado manter equilíbrio

Secretário de Governo e Gestão Estratégica ressalta que, apesar do cenário de extrema dificuldade, não haverá aumento de impostos e sim um trabalho de inteligência para redução das despesas

1 DEZ 2016 - 11h03min
Notícias MS
 
 
 
 
Fazer mais com menos, atendendo as necessidades básicas de todas as áreas sociais sem gerar desequilíbrio fiscal. Essa foi a tônica da reunião realizada entre o secretário de Estado de Governo e Gestão Estratégica (Segov), Eduardo Riedel, e os deputados estaduais na manhã desta quarta-feira (30), na Assembleia Legislativa. Riedel foi à Assembleia para detalhar o projeto orçamentário de 2017.
 
Na reunião, o secretário falou das metas e ajustes do orçamento, que estima a receita e fixa as despesas em aproximadamente R$ 14 bilhões. Ele pediu a participação dos deputados para buscar alternativas para assegurar a saúde financeira do Estado.
 
?Foi uma conversa muito franca, muito aberta, passando a mensagem de que a solução deve ser discutida com a sociedade, com o Legislativo e o Judiciário. Vamos ter que entrar o ano com muita seriedade porque não temos perspectiva de recuperação econômica de curto prazo ou retomada do crescimento de maneira vigorosa?, disse o secretário aos jornalistas, no final da reunião.
 
Junto com o secretário adjunto, Jader Rieffe Julianelli, Riedel fez um histórico da arrecadação do ICMS, que de 2010 a 2014 apresentou índices anuais positivos variando entre 7% e 17%.  Com a crise econômica, em 2015 o crescimento foi de 3,4% e em 2016 não deve passar de 3%.
 
?As despesas do Estado, principalmente no que diz respeito a pessoal, continuam aumentando. O que é natural, pois temos o crescimento vegetativo, progressões, promoções, reposição da inflação e aumentos. Isso tudo fica acima da capacidade de arrecadação do Estado, o que faz com que o orçamento seja comprimido e gere a complexidade que estamos atravessando?, detalhou.
 
Entre as necessidades de ajustes para fechar as contas está a previdência social. ?Ninguém quer mexer com direitos adquiridos, mas temos que repensar o modelo para garantir os benefícios no longo prazo?. O déficit previdenciário estadual teve início em 2010, quando foi preciso cobrir R$ 164 milhões. Este ano, o pagamento de benefícios vai requerer dos cofres públicos aproximadamente R$ 800 milhões.
 
?Temos que mudar o modelo porque ele já mostrou que gera a falência do sistema. Nós passamos, mas nossos filhos ficam. Os servidores, que dedicaram uma vida de trabalho para a sociedade, também ficam. E isso tem que ser respeitado?, ressaltou.
 
O secretário lembrou que é preciso equilíbrio para garantir a aplicação da previsão orçamentária percentual definido para as áreas prioritárias e as necessidades que se impõem ao Estado, tais como a contratação de agentes penitenciários e a demanda por mais policiais . ?O orçamento fica comprimido porque a folha cresce e a receita não. O executivo tem feito um ajuste diário com corte de despesas. Mas estamos abrindo a discussão para que possamos construir um 2017 saudável.  Vamos fazer isso agora para não esperar lá no final do ano e ter que buscar soluções emergenciais que possam impactar mais o cidadão?, afirmou.
 
Apesar da crise, o secretário afirmou que está descartada a possibilidade de aumento de impostos, destacando que o Estado tem o IPVA mais barato do Brasil. ?A sociedade está no limite. Estamos diante de um cenário de extrema dificuldade, mas não enxergamos como alternativa aumentar impostos. Precisamos é de um trabalho de inteligência para reduzir despesas?.
 
Reforma
 
Questionado pelos jornalistas sobre a reforma administrativa em andamento, Riedel disse que o objetivo maior das mudanças não é, necessariamente cortar gastos. ?Não haverá cortes em massa, porque já reduzimos os comissionados no começo da gestão. O que buscamos agora é ter uma estrutura de governo que nos dê mais eficiência?, afirmou.
 
Assim como fez com o Legislativo, o Governo Estadual deverá procurar o Judiciário para falar do orçamento e buscar a construção conjunta de alternativas para manter o estado em equilíbrio neste momento de crise. Nos encontros, o Executivo quer apontar as medidas que estão sendo estudadas como alternativa para a equação dos gastos públicos. ?O Governo não quer fazer isso sozinho. Precisamos definir juntos onde podemos diminuir gastos?.

Delivery Amorim_11
 

Veja também

Mais Lidas

1
Aquidauana

Familiares informam velório de Joséfa Maria

2
Policial

Após temporal, idoso escorrega de telhado e morre

3
Policial

Homens são presos com pintados fora da medida em camionete

4
Policial

Homem é preso ao tentar fugir de bar sem pagar a conta

Informe Publicitário

Informe

Drogaria Aquidauana: há 8 anos protegendo sua família

Previsão do Tempo

min20 max31

Aquidauana

Sol com algumas nuvens. Não chove.
min20 max31

Anastácio

Sol com algumas nuvens. Não chove.

Níveis dos Rios Hoje

Aquidauana
1,99m
Miranda
2,01m
Paraguai
0,19m

Colunas e Blogs

Valdemir Gomes

Aliás...

Maria de Lourdes Medeiros Bruno

AI de ti, AQUIDAUANA!

Gabriel Novis Neves

MANIA NOVA

Ver Mais Colunas

Guia Cidade

Escolas de Línguas

Escola Inglês e Espanhol - CCAA

Rua 7 de setembro, 1225 - 79200-000 Aquidauana/MS (67) 3241 5699
Supermercados

Supermercado Princesa 1

Sete de Setembro, 1750 Bairro Guanandy - 79200-000 Aquidauana/MS (67) 3241-2083
Ag. Correios

Agencias dos Correios

Marechal Mallet, 255 Centro - 79200-000 Aquidauana/MS (67) 3241 2976
Ver Mais
2
Entre em nosso grupo