X

G1

Com a proximidade do Carnaval, festa popular muito esperada no país, as varas e coordenadorias da infância em todo o território nacional começam a buscar formas de evitar que crianças e adolescentes sejam alcançados pelas consequências das festividades, como embriaguez, gravidez indesejada, entre outros, além de serem vítimas de todo tipo de violência – principalmente a sexual.

Ciente da necessidade de campanhas esclarecedoras, já que a prevenção é a melhor atitude a ser adotada, a Coordenadoria da Infância e da Juventude de MS estabeleceu parceria com o Comitê Estadual de Enfrentamento à Violência Sexual de Crianças e Adolescentes (Comcex/MS) para realização de uma campanha durante os festejos do carnaval, com objetivo de prevenir e enfrentar a questão da violência sexual contra crianças e adolescentes em Mato Grosso do Sul.

Ressalte-se que entre as ações do Comcex/MS no combate à violência sexual infantojuvenil figura a campanha de conscientização, com distribuição de panfletos elucidativos sobre a data da festa popular, visando a proteção dos direitos da criança e do adolescente.

Assim, por intermédio da CIJ, o Tribunal de Justiça de MS forneceu apoio institucional à campanha com a impressão de 10.000 panfletos para serem distribuídos nos locais onde os foliões estarão durante as festividades.

Saiba mais

O carnaval é uma tradicional festa popular realizada em diferentes locais do mundo, sendo muito celebrada no Brasil. Apesar do forte secularismo presente, a festa é tradicionalmente ligada ao catolicismo, uma vez que sua celebração antecede a Quaresma, porém o carnaval não é uma invenção brasileira e sua origem remonta à antiguidade.

A palavra carnaval é originária do latim, carnis levale, cujo significado é “retirar a carne”. Esse sentido está relacionado ao jejum que deveria ser realizado durante a Quaresma e também ao controle dos prazeres mundanos.

No Brasil, o carnaval começou no período colonial e uma das primeiras manifestações foi o entrudo, uma brincadeira de origem portuguesa que, na colônia, era praticada pelos escravos. Nela, as pessoas saíam às ruas sujando umas às outras jogando lama, urina etc. O entrudo foi proibido em 1841, mas continuou até meados do século XX.

Depois surgiram os cordões e ranchos, as festas de salão, os corsos e as escolas de samba. Afoxés, frevos e maracatus também passaram a fazer parte da tradição cultural carnavalesca brasileira. Marchinhas, sambas e outros gêneros musicais foram incorporados à maior manifestação cultural do Brasil.

Deixe a sua opinião

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Economia

MegaFeirão Serasa Desenrola é lançado com painel sobre Educação Financeira

O mutirão emergencial visa estimular a renegociação de dívidas, facilitando a vida de consumidores de todo o que país podem acessar ofertas especiais de várias formas, digitais ou presenciais

Educação

MEC publica portaria que regulamenta o Fies Social

Serão beneficiados pela portaria estudantes com renda familiar per capita de até meio salário mínimo cadastrados no CadÚnico

Voltar ao topo

Logo O Pantaneiro Rodapé

Rua XV de Agosto, 339 - Bairro Alto - Aquidauana/MS

©2024 O Pantaneiro. Todos os Direitos Reservados.

Layout

Software

2
Entre em nosso grupo