28 de novembro de 2021
Anuncie Aqui
Nutrição

Em MS, 69% da população está com excesso de peso e 36% com obesidade

12 OUT 2021 - 13h00min
Da redação

O Dia Mundial da Alimentação é celebrado no dia 16 de outubro e faz uma reflexão sobre a necessidade de uma alimentação saudável, de qualidade e acessível. A população brasileira tem deixado de consumir mais alimentos in natura, para consumir alimentos processados e ultraprocessados e isto tem levado para o aumento da obesidade. No Estado, 69% da população está com excesso de peso e 36% com obesidade.

J Jardim - Campanha de Outubro_9

Para o secretário de Estado de Saúde, Geraldo Resende, o elevado aumento da obesidade tem causado um dos maiores problemas de saúde pública no Sistema Único de Saúde. “A elevada prevalência de obesidade é um fator de risco para o desenvolvimento de Doenças Crônicas Não Transmissíveis (DCNT) e também está associada à perda de qualidade de vida em razão da má alimentação e desnutrição”. Estima-se que no país, as mortes prematuras por DCNT corresponda a 74% das causas registradas no país.

Segundo estudo do Ministério da Saúde, dos indivíduos atendidos na Atenção Primária a Saúde (APS) no Brasil, 63% apresentaram excesso de peso e 28,5% apresentaram obesidade, em 2019. Isso significa que, cerca de 8 milhões desses adultos apresentaram excesso de peso e 3,6 milhões apresentaram obesidade. Em Mato Grosso do Sul este cenário não é diferente, 69,3% da população está com excesso de peso, sendo que 36,6% já estão com obesidade. Ou seja, de cada 10 pessoas sete está com excesso de peso e três estão com algum grau de obesidade no Estado.

Para o nutricionista Anderson Holsbach, da Gerência Estadual de Alimentação e Nutrição (GEAN), da Secretaria de Estado de Saúde (SES), a má alimentação impacta diretamente nos problemas relacionados a saúde. “Fatores de risco relacionados à má alimentação podem reduzir até três anos a expectativa de vida de uma pessoa, e ampliar as chances se estiver relacionado ao fumo, álcool, poluição e no uso de drogas. Assim, a melhoria nas condições de alimentação saudável pode prevenir uma em cada cinco mortes registradas no país”.

O Ministério da Saúde ainda aponta que o custo financeiro da obesidade com hospitalizações e gastos ambulatoriais, em 2011, foi estimado em R$ 488 milhões. Em 2018, esse mesmo custo aumentou 37%, totalizando R$ 669 milhões. Os custos atribuíveis à hipertensão arterial, diabetes e obesidade no Brasil totalizaram R$ 3,45 bilhões em 2018, considerando gastos do SUS com hospitalizações, procedimentos ambulatoriais e medicamentos.

“Em 2020, das crianças acompanhadas na Atenção Primária à Saúde (APS) do SUS, em Mato Grosso do Sul, 15,9% dos menores de 5 anos e 31,8% das crianças entre 5 e 9 anos tinham excesso de peso, e dessas, 7,4% e 15,8%, respectivamente, apresentavam obesidade segundo Índice de Massa Corporal (IMC) para idade. Quanto aos adolescentes acompanhados na APS em 2020, 31,9% e 12,0% apresentavam excesso de peso e obesidade, respectivamente 7. Considerando todas as crianças brasileiras menores de 10 anos, estima-se que cerca de 6,4 milhões tenham excesso de peso e 3,1 milhões tenham obesidade. Entre os adolescentes brasileiros, estima-se que cerca de 11 milhões tenham excesso de peso e 4,1 milhões, obesidade”, explica Anderson Holsbach.

Durante o período pandêmico, o governo federal enviou para os 79 municípios de Mato Grosso do Sul, R$ 14 milhões para serem aplicados nos programas de enfrentamento a obesidade. Atualmente, o Estado conta com os seguintes programas: Crescer Saudável, Proteja, Programa Saúde na Escola (PSE) e Academias da Saúde.

Confira as dicas do nutricionista Anderson Holsbach para ter uma alimentação mais saudável:

  • Faça uso de alimentos in natura (arroz, feijão, carne, legumes, verduras e frutas) ou minimamente processados;
  • Utilize óleos, gorduras, sal e açúcar em pequenas quantidades ao temperar e cozinhar alimentos e criar preparações culinárias;
  • Limite o consumo de alimentos processados (alimentos em salmoura, frutas preservadas em açúcar, carnes salgadas ou defumadas, queijos e pães);
  • Evite o consumo de alimentos ultraprocessados (Bebidas açucaradas, como sucos de caixa e refrigerantes; Salgadinhos; Carnes processadas, como salsicha, bacon e hambúrgueres; Chocolate; Sopas instantâneas; Barras de cereal ou cereal matinal);
  • Comer com regularidade e atenção, em ambientes apropriados e, sempre que possível, com companhia;
  • Fazer compras em locais que ofertem variedades de alimentos in natura ou minimamente processados;
  • Desenvolver, exercitar e partilhar habilidades culinárias;
  • Planejar o uso do tempo para dar à alimentação o espaço que ela merece;
  • Dar preferência, quando fora de casa, a locais que servem refeições feitas na hora;

 

Veja também

Mais Lidas

1
Aquidauana

Figura querida na cidade, morre empresário José Celso Centoma

2
Policial

PRF responderá por tentativa de assassinato contra casal

3
Política

Marcos Trad anuncia cancelamento do carnaval de rua

4
Aquidauana

Das mãos de crianças, cartas escritas com palavras sinceras voam para aqueles que partiram de Covid

Informe Publicitário

Informe

Selaria União: couro e moda country você encontra aqui!

Previsão do Tempo

min22 max35

Aquidauana

Sol e aumento de nuvens de manhã. Pancadas de chuva à tarde e à noite.
min22 max35

Anastácio

Sol e aumento de nuvens de manhã. Pancadas de chuva à tarde e à noite.

Níveis dos Rios Hoje

Aquidauana
3,23m
Miranda
2,79m
Paraguai
0,14m

Colunas e Blogs

Valdemir Gomes

Ao...

Gabriel Novis Neves

Só envelhece quem não morreu antes

Maria de Lourdes Medeiros Bruno

Leila Diniz ("UMA MULHER SOLAR") Marília Mendonça ("...

Ver Mais Colunas

Guia Cidade

Ponto de Táxi

Ponto de Táxi Nº 7

Rua Estevão Laves Correa, s/n - 79200-000 Aquidauana/MS (67) 3241 3422
Pousadas

Fazenda Barranco Alto

Rio Negro, ------ ------- - 79200-000 Aquidauana/MS (67) 99986-0373 www.fazendabarrancoalto.com.br
Distribuidoras de Gás

Shekinah Gás

Rua 27 de julho esq. com João Pessoa, s/n - 79210-000 Anastácio/MS (67) 3245-0055
Ver Mais
2
Entre em nosso grupo