X
Turismo

Abeta: 54% dos turistas de aventura no Brasil viajam para curtir a natureza

Nada menos que 54% dos consumidores de turismo de aventura que viajaram dentro do próprio País nos últimos 12 meses deram como motivo curtir a natureza. Os dados foram divulgados pela Abeta (Associação Brasileira de Empresas de Ecoturismo e Turismo de Aventura) nesta terça-feira, 10 de novembro, durante seminário na UVA (Universidade Veiga de Almeida), no Rio de Janeiro. Trata-se de uma pesquisa inédita feita sobre o perfil deste tipo de turista no Brasil. O trabalho foi realizado junto com o Ministério do Turismo e deve ter apresentação oficial para a imprensa no dia 3 de dezembro. O Jornal de Turismo, porém, teve acesso aos dados.


Uma das novidades do estudo é a revelação que há uma tendência cada vez maior de famílias praticarem o turismo de aventura. Perguntados sobre que nota dariam, de 1 a 3, para a melhor companhia durante uma viagem, a média para a alternativa "família" foi de 2,7. Outro dado interessante é que o fator mais valorizado pelos consumidores deste tipo de turismo é a água (46% lembraram da substância). A região mais lembrada foi o Nordeste (32%).Já a atividade mais lembrada e preferida pelos turistas é o bugue (36%).


A pesquisa foi realizada em duas fases. A primeira ocorreu em São Paulo, Belo Horizonte e Porto Alegre com apenas 45 pessoas, com um objetivo mais qualitativo. A segunda fase, porém, teve aspecto quantitativo e entrevistou 904 pessoas em praças públicas (Copacabana, Ibirapuera, etc...) no Rio de Janeiro, São Paulo e Belo Horizonte. Todas as fontes foram selecionadas através de um filtro, ou seja, todas já eram reconhecidamente reconhecidas como "turistas de aventura ou ecoturistas". Estes, como a pesquisa também demonstra, viajam em média cinco vezes por ano dentro do Brasil, ultrapassando a média do turista comum, que, segundo dados recentes do MTur, fica em torno de 2,7 viagens anuais.


O coordenador-geral da Abeta, Gustavo Timo, também apresentou durante o evento os principais objetivos do programa Aventura Segura, uma das iniciativas da instituição junto com o Ministério do Turismo e o Sebrae Nacional (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas). O objetivo do projeto, que teve início em dezembro de 2005, abrange um conjunto de ações de fortalecimento institucional, disseminação de conhecimento e qualificação de pessoas e empresas, além de formação de GVBS (grupos voluntários de busca e salvamento).


O programa conta com 4,84 mil pessoas qualificadas em 16 destinos turísticos de 13 Estados brasileiros. "Queremos principalmente estabelecer novas parcerias e fazer uma avaliação final do programa Aventura Segura, projeto de fortalecimento, qualificação, certificação do turismo de aventura no Brasil", disse Gustavo durante o seminário. "Na nossa visão, o setor cresceu de maneira exponencial e hoje somos ouvidos e temos força junto aos órgãos públicos. A própria pesquisa mostra que 72% dos consumidores de turismo de aventura veem uma melhora na qualidade de prestação dos serviços, apesar de 92% ainda não terem ouvido falar do programa, o que é uma falha de comunicação nossa".

Deixe a sua opinião

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Saúde

Brasil tem mais de um milhão de casos de dengue este ano

Seis estados e o Distrito Federal decretaram situação de emergência

Geral

Comarca de Corumbá está com inscrições abertas para estágio em Direito

As inscrições estão abertas até o dia 05 de março

Voltar ao topo

Logo O Pantaneiro Rodapé

Rua XV de Agosto, 339 - Bairro Alto - Aquidauana/MS

©2024 O Pantaneiro. Todos os Direitos Reservados.

Layout

Software

2
Entre em nosso grupo