X
Música

Mané Coxinha: Lenda viva do rock pantaneiro toca no 8º Encontro de Relíquias

O 8º Encontro de Relíquias, maior evento de exposição de carros antigos em Mato Grosso do Sul

Mané Coxinha sobe aos palcos / Fotos: O Pantaneiro

Em meio às relíquias brilhantes e aos motores rugindo, uma figura se destaca, não pelo brilho metálico, mas pela luminosidade de sua alma e resistência. Conhecido carinhosamente como Mané Coxinha, o anastaciano se tornou um ícone do Encontro de Relíquias, evento que celebra sua 8ª edição na Avenida Pantaneta, neste fim de semana, em Aquidauana. Desde a primeira edição, ele nunca faltou, e este ano, mesmo após enfrentar graves problemas de saúde, ele estará presente mais uma vez, reafirmando sua posição como a “lenda viva do rock pantaneiro”.

Recentemente, Mané Coxinha passou por um grande desafio. Após sofrer uma queda que resultou em um AVC e traumatismo craniano, o guitarrista precisou ser internado e passou por uma delicada cirurgia. A recuperação tem sido lenta e dolorosa, mas a determinação do artista permanece inabalável.

“Estou recuperando. Tem hora que o braço está meio capengando, a perna... Tem hora que o corpo também está capengando, o corpo ainda tá meio molão, mas nós também estamos ensaiando, estamos fazendo o possível e o impossível aqui”, compartilhou ele, demonstrando a garra que sempre o acompanhou.

A dedicação de Mané Coxinha ao Encontro de Relíquias é comparável à de Ivete Sangalo ao Carnaval de Salvador. “A expectativa é muito grande para essa edição. Mais uma vez, o oitavo capítulo, e Mané Coxinha vai estar presente. Desde o primeiro capítulo, Mané Coxinha tá junto, participando do Relíquias. Eu sei que não tem nada a ver, é rock com axé, mas o Relíquias sem Mané Coxinha é a mesma coisa que o Festival de Salvador sem Ivete Sangalo. Não existe!”, declarou um fã entusiasmado, encapsulando o sentimento de muitos.

No ano passado, mesmo após o acidente, Mané não se afastou do palco. Ainda que impossibilitado de tocar sua amada guitarra, ele se apresentou como vocalista, recebendo apoio inestimável de seus companheiros de banda. “O Fernando, o Gabriel me ajudando, o Vadão, o Gibinha também. Sinceramente, apesar de eu não estar na guitarra, foi um dos melhores shows que nós fizemos”, refletiu com um brilho no olhar, reconhecendo o poder do coletivo.

WhatsApp Image 2024 05 24 at 15.10.16Mané no Encontro de Relíquias de 2023 - Arquivo O Pantaneiro

O 8º Encontro de Relíquias, maior evento de exposição de carros antigos em Mato Grosso do Sul, terá início no dia 30 de maio e se estenderá até 2 de junho. A Avenida Pantaneta, no Bairro Alto, será o cenário dessa celebração única, onde o ronco dos motores antigos se misturará à batida do rock pantaneiro, ecoando a resistência e a paixão de um homem que se recusa a desistir.

Mané Coxinha é mais do que um músico; ele é um símbolo de perseverança. Sua presença contínua no Encontro de Relíquias é uma prova de que, mesmo nas adversidades, a arte e a paixão podem superar qualquer obstáculo. O evento, com entrada gratuita, promete não apenas uma viagem nostálgica pelo mundo dos carros antigos, mas também um reencontro emocionante com um verdadeiro herói do rock pantaneiro.

Deixe a sua opinião

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Saúde

Não é só gotinha: entenda como funciona a vacinação contra a pólio

Atualmente, as três primeiras doses da vacina são injetáveis

Policial

PRF inaugura nova Unidade Operacional em Ribas do Rio Pardo

A estrutura possui, além das salas e equipamentos necessários para a atividade policial, uma sala de integração para operações com outras instituições

Voltar ao topo

Logo O Pantaneiro Rodapé

Rua XV de Agosto, 339 - Bairro Alto - Aquidauana/MS

©2024 O Pantaneiro. Todos os Direitos Reservados.

Layout

Software

2
Entre em nosso grupo