24 de novembro de 2020
Anuncie Aqui
-->
Turismo

Turismo quer espantar crise com promoção no fim do ano

13 OUT 2007 - 12h57min
folha on line

O setor de viagens e turismo deposita no fim do ano a esperança da retomada de um cenário mais promissor, sobretudo para o mercado doméstico, que deve amargar perdas de 20% nos pacotes turísticos neste ano em relação a 2006. As promoções devem ser uma alternativa de agências e companhias aéreas para aumentar as vendas e sair da crise.


"Há muitas agências e operadores de turismo fazendo promoções, como a de dois por um. Quanto o cliente paga o pacote para um, mas viajam dois. Elas devem se sustentar, pelo menos, até o início de novembro", diz Leonel Rossi Jr., diretor de assuntos internacionais da Abav (Associação Brasileira de Agências de Viagem).


A concorrência entre as companhias aéreas também deve trazer benefícios para os turistas, que são disputados na tentativa de retomar a confiança no sistema após o apagão aéreo, quando milhares de passageiros passaram horas e dias nos aeroportos no final de 2006, e o acidente com o avião da TAM, em julho deste ano.


"No mercado doméstico, as companhias aéreas baixaram os preços visando a retomar a confiança do consumidor. Há empresas com vôos mais baratos que o transporte rodoviário", diz o professor Domingos Spezia, pesquisador do Centro de Excelência em Turismo da Universidade de Brasília. Para ele, o setor aéreo dá sinais de "normalização" das operações. "São estímulos para ter o usuário de volta. Até por isso, acredito na retomada do mercado até o final do ano."


Ainda assim, a Abav estima queda entre 15% e 20% para as vendas desde fim de ano em relação ao mesmo período do ano passado. "O primeiro semestre foi muito conturbado. Se perdeu muito. A queda nas vendas de pacotes domésticos foi de 25%", explica Rossi Jr. O prejuízo só não foi maior devido ao aumento de 12% das vendas de pacotes e passagens internacionais, favorecidas pela desvalorização do dólar e pela estabilidade econômica. "Há quatro anos, uma passagem de US$ 1 mil custava R$ 3 mil. Hoje, sai por R$ 1,8 mil", diz.


A valorização do real também exerceu reflexos positivos sobre o faturamento das agências e operadoras de turismo. Conforme o presidente da Braztoa (Associação Brasileira dos Operadores de Turismo), José Eduardo Barbosa, a receita das agências deve crescer entre 10% e 15% neste ano.


"Com a economia estável e o real valorizado, a tendência foi o brasileiro viajar e gastar mais no Brasil e, mais significativamente, no exterior", disse Barbosa. "Pelo faturamento, o ano vem bem para as agências, puxado pela migração do turismo doméstico para o internacional."


Para a presidente da Embratur (Empresa Brasileira de Turismo), Jeanine Pires, o setor está em fase de acomodação e há iniciativas de minimizar o impacto do câmbio no turismo doméstico, como o programa "Viaja Mais, Melhor Idade", que oferece crédito consignado para aposentados e pensionistas do INSS e pessoas com mais de 60 anos.


"O ano inteiro foi atípico por conta da redução da oferta de assentos desde a saída da Varig do mercado e o câmbio. Por outro lado, no final do ano, há a expectativa de recuperar os visitantes com ofertas melhores e reacomodação dos pacotes", disse Pires.


Com o dólar em baixa, mesmo quem planejava viajar pelo Brasil aproveitou o preço mais favorável para o exterior e mudou o destino. "Os vôos domésticos foram mais afetados neste ano, devido ao câmbio e à crise aérea [desde o fim do ano passado]. Os vôos internacionais só foram mais afetados após o acidente da TAM [em julho]", explicou Barbosa.


A boa fase da economia ajudou ainda o mercado de passagens aéreas, vendidas isoladamente, segundo Rossi Jr. "As passagens tiveram alta nas vendas de 7%, porque entre 60% e 70% são vôos de negócios, que aumentam com a expansão da economia. Os empresários e os executivos não deixam de voar por causa da crise aérea."


Quem também surfou na crise dos aeroportos e na valorização do real foram os cruzeiros marítimos. Segundo Rossi, Jr., entre 60% e 70% das vagas oferecidas em navios já estão vendidas. Neste verão, pelo menos 14 navios deverão atracar no litoral brasileiro. "Os navios são uma novidade para o turista brasileiro e também passaram a ter custos mais baixos", afirmou Barbosa.


Segundo Barbosa, despontam como os principais destinos neste verão os resorts do Nordeste brasileiro, o Uruguai e a Argentina (Bariloche e Buenos Aires, principalmente), Cancun, Aruba, República Dominicana e Cuba. Além dos pacotes para o Nordeste, Rossi Jr., da Abav, também aponta o litoral do Rio e de Santa Catarina como os mais procurados durante as festas de fim de ano e férias de verão.


E ele dá uma dica de economia: "É melhor evitar os resorts do Nordeste na alta estação, que lotam mais facilmente. No fim de ano, os preços ficam proibitivos. É preferível deixar passar o ano-novo, que os preços caem pela metade", diz.

 

Veja também

Mais Lidas

1
Policial

Vídeo: Carro capota, pega fogo e incêndio se espalha por vegetação na MS-345, em Aquidauana

2
Aquidauana

Ex-bancária de Aquidauana morre vítima do coronavírus em Campo Grande

3
Policial

Reinaldo determina afastamento de policiais envolvidos em agressão a mulher algemada

4
Policial

PMs salvam vítimas de caminhonete prestes a cair de barranco em Bodoquena

Vídeos

Vídeo de princípio de incêndio na Gruta de Piraputanga viraliza

Carga de carvão tomba e cai de carreta no trevo da BR-262, em Anastácio

Acidente entre carro e caminhonete mata homem carbonizado

Ver mais Videos

Previsão do Tempo

min23 max37

Aquidauana

Sol com algumas nuvens. Não chove.
min23 max37

Anastácio

Sol com algumas nuvens. Não chove.

Níveis dos Rios Hoje

Aquidauana
3,59m
Miranda
4,06m
Palmeiras
1,81m

Colunas e Blogs

Mariana Thomé

Saneamento básico: um privilégio ou uma realidade dis...

Valdemir Gomes

Na...

Maria de Lourdes Medeiros Bruno

"MEDO..."

Ver Mais Colunas

Guia Cidade

Ponto de Táxi

Ponto de Táxi Nº 2

Rua Roberto Scaff, s/n - 79200-000 Aquidauana/MS (67) 3241 2350
Advocacia

Dr. Douglas Melo Figueiredo

Rua Manoel Antonio Paes de Barros, 415 Centro - 79200-000 Aquidauana/MS (67) 3241-4900
Segurança Predial

Proteção Geral

Rua Pandiá Calógeras - em frente a Enersul, 514 Centro - 79200-000 Aquidauana/MS (67) 3241-1074
Ver Mais
Fale com a redação